A percepção do portador de esquizofrenia sobre sua sexualidade

Fernanda Matos Fernandes Castelo Branco, Jaqueline Carvalho e Silva Sales, Fábio Rodrigues Trindade, Magda Dias Pessoa, Carmen Mary Pereira Araújo Freitas, Mônica Martins da Silva

Resumo


O modelo de cuidar em enfermagem é baseado na abordagem holística e neste contexto se enquadra a sexualidade dos portadores de transtornos mentais, dentre eles os de esquizofrenia. Este estudo objetiva descrever e analisar a percepção do portador de esquizofrenia sobre sua sexualidade. Estudo descritivo com abordagem qualitativa com a participação de nove sujeitos, acompanhados em um Centro de Atenção Psicossocial, no município de Teresina/PI. Os dados foram coletados através de entrevista semi-estruturada e a partir dos relatos emergiram duas categorias: ato sexual como expressão da sexualidade e a negação da sexualidade do portador de esquizofrenia. Observou-se que os sujeitos desta pesquisa percebem a sexualidade de uma forma bem diferenciada, onde a percepção dos mesmos diante da temática está ligada ao sexo, ao abandono e a negação por parte do próprio portador da doença. Conclui-se que este assunto é de suma importância no processo de reintegração do esquizofrênico por possibilitar o resgate de sua autonomia e lhe atribuir cidadania, além de permitir o convívio com outras pessoas. 


Palavras-chave


Esquizofrenia. Sexualidade. Enfermagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, O. P.; DRATCU, L.; LARANJEIRA, R. Manual de Psiquiatria. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. 307 p.

BRASIL, Ministério da saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRITO, P. F.; OLIVEIRA, C. C. A sexualidade negada do doente mental: percepções da sexualidade do portador de doença mental por profissionais de saúde. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p 246-254, 2009.

FAVARATO, M. E. C. S. et al. Sexualidade e climatério: influência de fatores biológicos, psicológicos e sócio-culturais. Reprodução & climatério, v. 15, n. 4, p. 199- 202, 2000.

FREITAS, K. R.; DIAS, S. M. Z. Percepções de adolescentes sobre sua sexualidade. Texto & Contexto Enfermagem, São Paulo, Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 351-357, jun. 2010.

MAJ, M.; SANTORIUS, N. Esquizofrenia. Tradução Ronaldo Cataldo Costa. 3. ed. Porto Alegre (RS): Artmed, 2005

MINAYO, M. C. S. O Desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. SÃO Paulo: Hucitee-Abrasco, 2010.

MIRANDA, F. A. N.; FUREGATO, A. R. F. Percepções da sexualidade do doente mental pelo enfermeiro. Revista Latino-America de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 10, n. 2, p. 207-213, abr. 2004.

NUNES FILHO, E. P.; BUENO, J. R.; NARDI, A. E. Psiquiatria e Saúde Mental: conceitos clínicos e terapêuticos fundamentais. São Paulo: Atnheneu, 2005.

SADOCK, B. J.; SADOCK, V. A. Compêdio de Psiquiatria: Ciências do Comportamento e Psiquiatria Clínica. Tradução Claudia Dornelles. 9. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

SILVA, J. C.; FIGUEIREDO, M. L. F. A percepção da mulher idosa sobre sua sexualidade: Uma contribuição para a enfermagem. Teresina: EDUFPI, 2010.

SOARES, A. N.; SILVEIRA, B. V.; REINALDO, A. M. S. Oficinas de sexualidade em saúde mental: relato de experiência. Cogitare Enfermagem, Minas gerais, v.15, n. 2, p.345-348, abr/jun. 2010.

STEFANELLI, M. C.; FUKUDA, I. M. K.;ARANTES, E. C. Enfermagem psiquiátrica: em suas dimensões assistenciais. Barueri, SP: Manole, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Volumes Anteriores Impressos

 

INDEXADA EM: