O significado da hanseníase para o agente comunitário de saúde

Jaqueline Carvalho e Silva Sales, Vera Lúcia Evangelista de Sousa Luz, Fernanda Matos Fernandes Castelo Branco, Maria de Fátima Ferreira Araújo, Sandra Helena Teixeira de Sousa Castro, Tereza Cristina Araújo da Silva

Resumo


A hanseníase é uma doença infecciosa e transmissível causada pelo Mycobacterium leprae. É considerada um problema de saúde pública, tornando-se uma das prioridades do Ministério da Saúde, que desenvolveu o Programa Nacional de Controle da Hanseníase, para o qual o Agente Comunitário de Saúde (ACS) é um profissional fundamental na identificação de manchas suspeitas da doença nos indivíduos e encaminhamento às Unidades de Saúde para investigação, assim como acompanhamento dos pacientes diagnosticados e orientação quanto à importância da adesão ao tratamento. Partindo desse pressuposto, o presente trabalho objetivou descrever e analisar o significado da hanseníase para o ACS. Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa. Os sujeitos do estudo constituíram de 12 ACS de ambos os sexos. Após a análise formou-se duas categorias: A doença hanseníase para os ACS, além de Medo e Preconceito: significados atribuídos pelos ACS à hanseníase. Conclui-se que os ACS conhecem a hanseníase no que diz respeito ao seu conceito, transmissibilidade, manifestações clínicas, destacando-a principalmente como curável, além do fato desta patologia continuar permeada por medos e preconceitos o que afeta não somente o paciente, mas também os profissionais de saúde que atuam junto aos mesmos.

Palavras-chave


Hanseníase. Saúde da família. Enfermagem.

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, A. A. et al. Projeto de qualificação da vigilância dos contatos de hanseníase no município de Teresina-PI: Relatório final. Teresina, Fundação Municipal de Saúde, 2010.

BRASIL, Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Secretaria de Vigilância em Saúde. Hanseníase. 2. ed. Brasília, 2008.

_______, Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância epidemiológica. 7. ed. Brasília, 2009.

______. Ministério da saúde. Portaria n.3.125 de 07 de outubro de 2010-aprova as diretrizes para vigilância, atenção e controle da Hanseníase. Brasília, 2010.

BITENCOURT, L. P. et al. Estigmas: percepções sociais reveladas por pessoas acometidas por hanseníase. Revista Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v.18, n.2, p. 185-190, 2010.

CAMPELLI, B. G. A hanseníase na cidade do rio de janeiro: o processo histórico de construção de um preconceito. Rio de Janeiro, 2008. 57 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Serviço Social) - Universidade Estácio de Sá.

CRUZ, S. C.; ODA, J. Y. Atuação dos agentes comunitários de saúde no programa de controle da hanseníase em um município do Noroeste do Paraná. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, Umuarama, v. 13, n. 3, p. 217-222, 2009.

CAMPOS, G. W. S. Tratado de saúde coletiva. São Paulo: Hucitec; 2006.

EIDT, L. M. Ser hanseniano: sentimentos e vivências. Hansenologia Internationalis, São Paulo, v. 29, n. 1, p. 21-7, 2004.

MACHADO, A. M. A Lepra: mancha anestésica e morte anunciada no isolamento social em Cuiabá de 1850 a 1900. Anais do XXVI SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA – ANPUH. São Paulo, 2011.

MARTINS, P. V; CAPONI, S. Hanseníase, exclusão e preconceito: História de vida de mulheres em Santa Catarina. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.15, n.1, p. 1047-1054, 2010.

MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa social: Teoria, método e criativida. 29. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2010.

NUNES, J. M.; OLIVEIRA, E. N.; VIEIRA, N. F. C. Hanseníase: conhecimentos e mudanças na vida das pessoas acometidas. Ciências & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. spe, p. 1311-1318, 2011.

SANTANA, J. C. B. et al. Agente Comunitário de Saúde: percepções na Estratégia Saúde da Família. Cogitare Enfermagem, Minas Gerais, v.14, n. 4, p.645-52, 2009.

SANTOS, C. R. I. O agente comunitário de saúde como ator na promoção de saúde bucal no programa saúde da família de Rio Branco, Acre, 2009. 141 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Faculdade de Saúde Pública da USP, São Paulo. 2009.

FREITAS, C. A. S. L. et al. Consulta de enfermagem ao portador de hanseníase no território da Estratégia da Saúde da Família: percepções de enfermeiro e pacientes. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 61, n. spe, p.757-63, 2008.

SILVA, M. C. D.; PAZ, E. P. A. Educação em saúde no programa de controle da hanseníase: a vivência da equipe multiprofissional. Escola Anna Nery, Rio de Janeiro, v.14, n.2, p. 223-229, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Volumes Anteriores Impressos

 

INDEXADA EM: