Perfil das internações hospitalares no Brasil no período de 2013 a 2017

Henrique Guimarães Gomes, Sheila Mara Dias, Marlyene dos Santos Gomes, Jullyane Suzana Nascimento de Medeiros, Louise Paiva Ferraz, Felipe Lobato Pontes

Resumo


Objetivo: caracterizar o perfil das internações hospitalares no Brasil no período de 2013 a 2017. Método: estudo transversal, descritivo e quantitativo, com 54.628.224 pessoas internadas. Os dados foram obtidos da plataforma DataSUS e coletados no dia 06/01/2018. Resultados: a maioria pertence ao sexo feminino (58,92%), representadas majoritariamente por idades entre 20 e 29 anos (18,02%). O caráter de atendimento predominante foi o de urgência/emergência (79,27%) e os maiores motivos das internações hospitalares relacionam-se à gravidez, parto e puerpério (20,93%). Das internações gerais, 2.269.701 foram a óbito e a maior causa pertence às doenças do aparelho respiratório (19,50%), seguida por doenças do aparelho cardiovascular (19,34%). Conclusão: a maioria das internações hospitalares foi de pacientes do sexo feminino, entre 20 e 29 anos. O caráter de atendimento predominante foi por urgência/emergência, sendo os maiores motivos das internações relacionados à gravidez, parto e puerpério. Quanto às principais causas de óbitos durantes as internações gerais, destacam-se, respectivamente, as doenças do aparelho respiratório e as doenças do aparelho cardiovascular.


Palavras-chave


Hospitalização; Epidemiologia; Perfil de saúde

Texto completo:

pdf

Referências


AGNOLO, C.M.D.; GRAVENA, A.A.F.; ROMEIRO-LOPES, T.C. et al. Mulheres em idade fértil: causas de internação em Unidade de Terapia Intensiva e resultados. ABCS. Health. Sciences., v.39, n.2, p. 77-82, abr. 2015.

BITTENCOURT, A.S.; CAMACHO, L.A.B.; LEAL, M.C. O Sistema de Informação Hospitalar e sua aplicação na saúde coletiva. Cad. Saúde. Pública., v.22, n.1, p. 19-30, jan. 2006.

BOLÉO-TOMÉ, J.P. Doença respiratória e gravidez. Acta. Med. Port., v.20, n.4, p. 359-367, fev. 2007.

BOUSQUAT, A. Tipologia das regiões de saúde: condicionantes estruturais para regionalização no Brasil. 2015 . Disponível em: http://observatorio.fm.usp.br/bitstream/handle/OPI/10672/art_VIANA_Tipologia_das_regioes_de_saude_condicionantes_estruturais_para_2015_por.PDF?sequence=1&isAllowed=y. Acessado em: 09 de janeiro de 2018.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. Dados dos serviços de saúde no Brasil. 2017. Disponível em: http://www.cns.org.br/links/DADOS_DO_SETOR.htm. Acessado em: 09 de janeiro de 2018.

CARVALHO, A.I.; WESTPHAL, M.F.; LIMA, V.L.P. Histórico da promoção da saúde no Brasil. 2014. Disponível em: https://ufrr.br/procisa/index.php?...historico-promocao-saude-brasil&id... Acesso em: 09 de janeiro de 2018.

DAVID, C.M.N. Antibioticoterapia no paciente grave. In: DAVID, C.M.N.; GOLDWASSER, R.S.; NÁCUL, F.E. Medicina intensiva: Diagnóstico e tratamento. Editora Revinter, Rio de Janeiro. 1997: 256-267.

GONÇALVES, L.A.; GARCIA, P.C.; TOFFOLETO, M.C. et al. Necessidades de cuidados de enfermagem em Terapia Intensiva: evolução diária dos pacientes segundo o Nursing Activities Score (NAS). Rev. Bras. Enferm., v. 59, n.1, p. 56-60, jan./fev. 2006.

GOULART, F.A.A. Doenças crônicas não transmissíveis: estratégias de controle e desafios e para os Sistemas de Saúde. 2011. Consultado em: Disponível em: http://apsredes. org/site2012/wp-content/uploads/2012/06/ Condicoes-Cronicas_flavio1.pdf. Acessado em: 06 de janeiro de 2018.

GUYTON, A.C.; HALL, J.E. Tratado de Fisiologia Médica. 11ª ed. Rio de Janeiro, Elsevier. 2006; p.1035.

LIMA FVB, PRATES CA, ANTÔNIO FA, et al. Internações sensíveis na atenção primária como indicador de avaliação da Estratégia Saúde da Família. Rev. Saúde. Públic., v.43, n.6, p. 928-936, dez. 2009.

LIMA, W.A.; GLANER, M.F. Principais fatores de risco relacionados às doenças cardiovasculares. Rev. Bras.Cineantropom. Desempenho. Hum., v.8, n.1, p. 96-104, 2006.

MITANO, F.; VENTURA, C.A.; PALHA, P.F.; Saúde e desenvolvimento na África Subsaariana: uma reflexão com enfoque em Moçambique. PHYSIS. Rev. Saúde. Coletiva., v.26, n.3, p. 901-915, jan. 2016.

OLIVEIRA, L.H.; MATTOS, R.A.; SOUZA, A.I.S. Cidadãos peregrinos: os "usuários" do SUS e os significados de sua demanda a prontos-socorros e hospitais no contexto de um processo de reorientação do modelo assistencial. Ciênc. Saúde. Coletiva., v.14, n.5, p. 1929-1938, nov./dez. 2009.

PATTWELS, R.A.; BUIST, A.S.; CALVELRY, P.M.A. et al. Global strategy for the diagnosis, management, and prevention of chronic obstructive lung disease. NHI.BI/WHO Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (GOLD) Workshop summary. Am. J. Respir. Crit. Care. Med., v. 163, p. 1256-1276, abr. 2001.

PFUNTNER, A.; WIER, L.M.; STOCKS, C. Most frequent conditions in U.S. hospitals. Statistical brief. 2013. Disponível em: www.hcup-us.ahrq.gov/reports/statbriefs/sb148.pdf. Acesso: 09 de janeiro de 2018.

SANTOS, A.C. Sistema de informações hospitalares do Sistema Único de Saúde: documentação do sistema para auxiliar o uso das suas informações. 2009. 226f. Dissertação (Mestrado em gestão e comunicação em saúde). Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca – Fundação Oswaldo Cruz.

SANTOS FS, SANTOS FCS, SANTOS LH, et al. Breastfeeding and protection against diarrhea: an integrative review of literature. Einstein., v.13, n.3, p. 435-440, jul./set. 2015.

SCARSBROOK, A.F.; EVANS, A.L.; OWEN, A.R. et al. Diagnosis of suspected venous thromboembolic disease in pregnancy. Clinical.radiology., v.61, n.1, p. 1-12, jan. 2006.

SILVA, B.; LEMES, R.; SILVA, M. et al. Sensitive assistance to basic care in a non-hospital emergency unit. J.Nurs.UFPE., v.9, n.11, p. 9777-9783, nov. 2015.

SIQUEIRA, M.S.; ROSA, R.D.S.; BORDIN, R. et al. Internações por doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado na rede pública de saúde da região metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 2010-2014. Epidemiol. Serv. Saúde., v.26, n.4, p. 795-806, out./dez. 2017.

VILAS, F.C.M.; LÚCIA, T.C. Hipertensão arterial na gestação. Arq. Bras. Cardiol., v. 93, suppl 1, p. 159-165, dez. 2009.

WESTPHAL, M.F.; BOGUS, C.M.; MENDES, R. et al. A Promoción de Salud em Brasil In: Arroyo, H, V. La promoción de la salud em América Latina: modelos, estructuras y vision crítica, 1ª ed, Universidad de Puerto Rico, p. 123-154. 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.