AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO SOBRE O MINERAL FÓSFORO E SUA INGESTÃO POR PACIENTES RENAIS CRÔNICOS EM HEMODIÁLISE

Joab Oliveira Salomão, Jaqueline de Souza Mesquita, Maria Olímpia Ribeiro do Vale Almada

Resumo


Objetivo: Objetivou-se avaliar o conhecimento e a ingestão de fósforo em pacientes com IRC em hemodiálise.  Para coleta de dados, foi utilizado questionário semiestruturado sobre o conhecimento do fósforo. Métodos: Para avaliação da ingestão adotou-se recordatório de 24 horas, aplicado em três dias diferentes, média calculada pelo programa Avanutri. Resultados: Participaram 100 pacientes com mais de 18 anos. Os pacientes têm pouco conhecimento quanto à alimentação adequada. A capacidade de entendimento sobre os cuidados diminui com o nível escolar. Observou-se que 79% dos pacientes têm uma ingestão inadequada de fósforo, 21% com ingestão adequada. Conclusão: É importante melhorar estratégias utilizadas para educação nutricional na IRC, uma vez que a hiperfosfatemia está associada há uma série de complicações. 


Palavras-chave


IRC, Fósforo, Hemodiálise.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO LPR, et al. Avaliação de programa de ensino-aprendizagem sobre metabolismo de cálcio e fósforo para pacientes em hemodiálise. Rev. Esc. Enferm. USP, v 44, n 4, p 928-932. 2010.

CAMPOS SR, et al. Estado nutricional e ingestão alimentar de pacientes em diálise peritoneal contínua com e sem hiperparatireoidismo secundário. J Bras Nefrol; v 34, n 2, p. 170-177. 2012.

CARVALHO AB, et al. Diretrizes brasileiras de prática clínica para o distúrbio mineral e ósseo na doença renal crônica: Controle da hiperfosfatemia na DRC. J BrasNefrol. V. 33, n 2, p.189-247. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jbn/v33n2/a12v33n2.pdf

GRICIO TC, et al. Percepções e conhecimentos de pacientes com Doença Renal Crônica em tratamento conservador. Rev. Eletr. Enf. v. 11, n. 4, p. 884-893. 2009.

LEVIN A, et al. KIDNEY DISEASE: Improving Global Outcomes (KDIGO) CKD Work Group. KDIGO 2012 Clinical Practice Guideline for the Evaluation and Management of Chronic Kidney Disease. Kidney Int. n.3, v. 1, p. 1- 150. 2013.

MARTINS C, RIELLA MC. Avaliação do estado nutricional e diagnóstico de pacientes renais. In: Riella MC; Martins CM. Nutrição e o rim. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; p.114-31.2011.

MARTINS VLS. Gestão do regime dietético no doente renal crónico em hemodiálise: influências socioculturais Micaelenses. ESEL - Escola Superior de Enfermagem de Lisboa - Dissertações de Mestrado. 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.26/16441

MIRA AR, et al. Manual de Nutrição e Doença Renal. Associação Portuguesa dos Nutricionistas, 2017.

NERBAS SFB, et al. Adesão e Conhecimento Sobre o Tratamento da Hiperfosfatemia de Pacientes Hiperfosfatemicos em Hemodiálise. J. Bras. Nefrol. v 32, n 2, p 149-155. 2010.

PINTO DE, et al. Associations between energy, protein, and phosphorus intakes in patients with chronic kidney disease on hemodialysis. J Bras Nefrol. V. 31, n. 4, p. 269-276. 2009.

BRASIL. RESOLUÇÃO-RDC Nº 154, DE 15 DE JUNHO DE 2004. Estabelece o Regulamento Técnico para o funcionamento dos Serviços de Diálise Disponível em: www.saude.mt.gov.br/upload/controle-infeccoes/pasta9/resolucao_rdc_n154_2004_regulamento_servicos_dialise.pdf

SANTOS ACB, et al. Associação entre qualidade de vida e estado nutricional em pacientes renais crônicos em hemodiálise. J. Bras. Nefrol. v.35 n.4, p. 279- 288. 2013.

Sociedade Brasileira de Nefrologia. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para tratamento do hiperparatireoidismo secundário em pacientes com Doença renal crônica. SBN. 2013.

SILVEIRA NDR, et al. Vivências e aprendizagens do paciente idoso na rotina da hemodiálise. Kairós Gerontologia, v. 14, n. 2, p. 95-110S. 2011. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/8209/6109

ZANINI MTB, et al. A hemodiálise no cotidiano dos pacientes renais crônicos. Inova Saúde. v. 1, n.1, p. 16- 30. 2012. Disponível em: http://periodicos.unesc.net/Inovasaude/article/view/817/808


Apontamentos

  • Não há apontamentos.