Territorialização como instrumento de planejamento de ações de saúde de residentes da atenção básica

Carla Andréa Lopes

Resumo


Este estudo teve como objetivo relatar a experiência sobre o processo de territorialização de residentes em Saúde da Família e Comunidade, realizado em uma Unidade Básica de Saúde, em Teresina-PI. Trata se de um estudo descritivo, do tipo relato de experiência, de residentes do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade, da Universidade Estadual do Piauí realizado nos meses de abril e maio de 2018. Ao longo do processo de territorialização foi possível perceber a realidade, as potencialidades e a subjetividade da população assistida pela UBS. Dessa forma foi possível realizar um planejamento de ações adequadas às necessidades locais. Descritores: Atenção primária à saúde. Saúde pública. Promoção da saúde.


Palavras-chave


Atenção primária à saúde; Saúde pública;Promoção da saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ARANTES, L.J.; SHIMIZU, H.E.; MERCHÁN-HAMANN, E. Contribuições e desafios da Estratégia Saúde da Família na Atenção Primária à Saúde no Brasil: revisão da literatura. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, p. 1499-1510, 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília (DF); 2017.

CARMO, M.E.; GUIZARDI, F.L.Desafios da intersetorialidade nas políticas públicas de saúde e assistência de saúde e assistência social; uma revisão do estado da arte.Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 27 (4): 1265-1286, 2017.

CAIRES, E. S; SOUZA JUNIOR, PJ. Territorialização em saúde: uma reflexão acerca de sua importância na atenção primária. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 9, n. 1, p. 1174-1177, 2017.

COSTA, T. C.; DE VASCONCELOS, T.B. Processo de territorialização da residência multiprofissional na cidade de Quixadá/CE: relato de experiência. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, v. 15, n. 1, p. 73-81, 2016.

GUANAES-LORENZI, C.; PINHEIRO, R. L. A (des) valorização do agente comunitário de saúde na Estratégia Saúde da Família. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, vol.21, n.8, p.2537-2546, 2016.

HOLLIDAY, O.J. Para sistematizar experiências / Oscar Jara Holliday; tradução de: Maria Viviana V. Resende. 2. ed., revista. Brasília: MMA, 2006: 128. (Série Monitoramento e Avaliação, 2).

LIMA, T.C.S.; MIOTO, R.C.T.; PRÁ, K.R.D. A documentação no cotidiano da intervenção dos assistentes sociais: algumas considerações acerca do diário de campo. Revista Textos & Contextos, Porto Alegre, v. 6, n. 1, p. 93-104. jan./jun. 2007.

LINO, M.R.B.; DA ROCHA, R.B.; DA COSTA, K.M.R. Territorialização como ferramenta norteadora das práticas de residentes em saúde da família. Revista Eletrônica Acervo Saúde/Electronic Journal Collection Health ISSN, v. 2178, p. 2091, 2017.

MACHADO, M. C. et al. Territorialização como ferramenta para a prática de residentes em saúde da família: um relato de experiência. Rev. enferm. UFPE, v. 6, n. 11, p. 2851-7, 2012.

MENESES, M. O.et al. Processo de territorialização realizado em unidades básicas de saúde sob o olhar da enfermagem. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research – BJSCR. Vol.26,n.2,pp.33-37 (Mar – Mai 2019)

MORAES, D. E.; CANÔAS, S. S. O conceito de “território” e seu significado no campo da atenção primária a saúde. Revista desenvolvimento social. v. 1, n. 9, 2013.

SANTOS, E. M.; MORAIS, S. H.G. A visita domiciliar na Estratégia Saúde da Família: percepção de enfermeiros. Cogitare Enfer.jul/set. p.492-497. 2011.

SANTOS, A. L.; RIGOTTO, R. M. Território e territorialização: incorporando as relações de produção, trabalho, ambiente e saúde na atenção básica à saúde. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro. v. 8, n. 3,p. 387-406. 2011.

OLIVEIRA, A.M.B.; MEDEIROS, N.T. Fisioterapia na residência multiprofissional em saúde da família: relato de experiência. SANARE-Revista de Políticas Públicas, v. 17, n. 2, 2018.

PAIM, J.S. Atenção Primária à Saúde: uma receita para todas as estações? Saúde em debate, v. 36, p. 343-347, 2012.

PERUZZO, H.E. et al. Os desafios de se trabalhar em equipe na estratégia saúde da família. Esc Anna Nery. 22 (4). 2018.

PRATA, N.I.S.S. et al. Saúde mental e atenção básica: território, violência e o desafio das abordagens psicossociais. Revista Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v.15, n.1, p.33-53, 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.