PREVALÊNCIA DE SOBREPESO E OBESIDADE EM TAXISTAS DA CIDADE DE MONTES CLAROS / MG, BRASIL

Humberto Gabriel Rodrigues, Ertz Ramon Teixeira Campos, Karide Christiane Ladeia Sena Rodrigues, Francisco Malta de Oliveira, Cínthia Gabriel Meireles, Joana Tatiane Santos-Lima, Graziele Pereira de Toledo, João Lima Cardoso, Sidlene Lima Gomes

Resumo


Objetivo: Determinar a prevalência de sobrepeso e obesidade dentre os taxistas do município de Montes Claros, Minas Gerais através da associação do índice de massa corporal (IMC), a relação cintura/quadril (RCQ), a circunferência de cintura (CC) e a hipertensão arterial sistêmica (HAS). Métodos: Antropometria através da mensuração do índice de massa corporal (IMC), relação cintura/quadril (RCQ), circunferência de cintura (CC) e pressão arterial sistêmica (HAS) dos taxistas. Resultados: A porcentagem de taxistas que apresentam sobrepeso ou obesidade apresentou os seguintes dados: IMC de 74%, RCQ de 78%, e CC de 67%. Conclusão: A maioria dos taxistas apresentou obesidade ou sobrepeso, embora não tenha se observado relação direta obesidade e hipertensão arterial.

 

Descritores: Obesidade. Índice de massa corporal. Hipertensão. Antropometria.


Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, V. C. Panorama do sistema de transporte por táxi: estudo de caso na cidade de Porto Alegre. Comunicação Técnica publicada nos Anais do XVI Congresso de Pesquisa e Ensino em Transporte, p.11-18, 2002.

ANJOS, L. A. Índice de massa corporal como indicador do estado nutricional de adultos: revisão da literatura. Revista de Saúde Pública 1992; v26: p.431-6, 1992.

CLASEY, J. L. et al. The use of anthropometric and dual-energy X-ray absorptiometry (DXA) measures to estimate total abdominal and abdominal visceral fat in men and women. Obesity Research n.7, p.256-64. 1999.

DHURANDHAR, N.V et al. Effect of adenovirus infection on adiposity in chickens. Veterinary Microbiology, v. 31, p. 101-107, 1992.

GOTTO, A. (Ed). DISEASEDEX - General Medicine. Electronic version, MICROMEDEX, Inc. Greenwood Village, Colorado, v. 128, 2006.

GREENWAY, F. Am I Physiol Regul Intergr Comp Physiol, v. 290, p. 188- R189, 2006.

KARELIS, A. D. S. T. et al. Metabolic and body compositionfactors in subgroups of obesity: What do we know? J Clin Endocrinol Metab. 2004; v.89, n. 6, p. 2569-75, 2017.

LAMON-FAVA, S.; WILSON, P.W.F.; SCHAEFER, E.J. Impact of body mass index on coronary heart disease risk factors in men and women. The Framingham Offspring Study. Arterioscler Thromb Vase Biol, v.16, p. 1509-15, 1996.

LEMIEUX, S. et al A single threshold value of waist girth identifies normal-weight and overweight subjects with excess visceral adipose tissue. American Journal of Clinical Nutrition, v. 64, p. 685-93, 1996.

MARTINS, I.S & MARINHO, S.P. Obesidade centralizada. Rev Saúde Pública v. 37, n. 6, p. 760-767, 2003.

MONTEIRO, C.A.; CONDE, W.L. A tendência secular da obesidade segundo estratos sociais: nordeste e sudeste do Brasil, 1975-1989-1997. Arq Brás Endocrinol Metabol 1999; 43(3):186-94.

NONINO-BORGES, C. B.; BORGES, R. M.; DOS SANTOS, J. E. Tratamento clínico da obesidade. Medicina, Ribeirão Preto, v. 39, n. 2, p. 246-252, 2006.

OMS. Obesidade: prevenindo e controlando a epidemia global / Relatório da consultoria da OMS. Tradução: Andréa Favano; revisão científica: Sérgio Setsuo Maeda. São Paulo: Roca, 2004.

REXRODE, K.M.et al. A prospective study of body mass index, weight change and risk of stroke in women. JAMA, v. 277, p.1539-45, 1997.

STAMLER, R. et al. Weight and blood pressure. Findings in hypertension screening of 1 million Americans. JAMA, v. 240, p. 1607- 10, 1978.

VALERA, Y.H.; HERNANDÉZ, H.R.A. Relación del índice cintura/cadera con la masa y el porcentaje de grasa corporal. Archivos Latinoamericanos de Nutrición, Guatemala, v.47, p. 315-322, 1997.

WAITZBERG, D.L. Nutrição oral, enteral e parenteral na prática clínica. 3. ed. São Paulo: Atheneu, 2000.

WANNMACHER, L. Obesidade: evidências e fantasias. Uso racional de medicamentos: temas selecionados. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde, v. 1, n. 3, 2004.

WINGARD, D. L., BARRETT-CONNOR, E.L., FERRARA, A. Is insulin really a heart disease risk factor? Diabetes Care, v.18: 1299-1304, 1995.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Obesity. Preventing and ma


Apontamentos

  • Não há apontamentos.