PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES ENVOLVENDO ANIMAIS PEÇONHENTOS

Luciano Novais de Paula, Célia Maria Santos Rezende, José Ilton Lima de Oliveira, Thallyson Jaryelson Soares de Sousa, Arthur Mendes Rocha, Joelson dos Santos Almeida

Resumo


Objetivo: descrever o perfil epidemiológico dos acidentes com animais peçonhentos. Método: estudo ecológico, descritivo com abordagem quantitativa realizado no município de Bacabal- MA dos casos de acidentes com animais peçonhentos da população residente no município, ocorridas no período de 01 janeiro de 2008 a 31 de dezembro 2017 por meio do SINAN/DATASUS e tratados por meio de estatística descritiva. Resultados: Predominaram casos de acidentes no sexo masculino (74,07%), adultos jovens de 20 a 39 anos (32,4%), moradores da zona urbana (66,66), destacou-se o acidente ofídico, tempo decorrido entre o acidente e o atendimento foi no intervalo de 1 a 3 h após o acidente (36,41%) e a evolução clínica de cura (87,96%). Conclusão: é evidente que o ofidismo é problemática local, necessitando de orientação em saúde à população, tratamento correto e preenchimento adequado da ficha de notificação.


 


Palavras-chave


Animais Venenosos. Notificação Compulsória. Mordeduras e Picadas.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, S.N.S.; RODRIGUES, J.J.P.; LIMA, R.A. Levantamento de acidentes com animais peçonhentos registrados em Tabatinga-AM, Brasil. Rev. gest. sust. ambient. v. 8, n. 1, 582-599, 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v8e12019582-599. Acesso em: 19 ago. 2019.

BENÍCIO, R.A.; CARVALHO, L.S.; FONSECA, M.G. Venomous Animals of State of Piauí: Epidemiology of Accidents and List of Medical Importance Species. Rev. Bras. Zoociências. v.20,n.1, 1-14, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.34019/2596-3325.2019.v20.24778. Acesso: 20 ago. 2019.

BERALDO, H.S. et al. ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS NOTIFICADOS EM UM HOSPITAL ESCOLA. Rev. Varia Scientia – Ciências da Saúde. v.3, n. 2, p.194-200, 2017. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/variasaude/article/view/17691. Acesso em: 20 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. PORTARIA Nº 264, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2020. Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública. 2020a. Disponível em: http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-264-de-17-de-fevereiro-de-2020-244043656. Acessado em: 24 de março de 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em saúde. Coordenacao-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Servicos. Guia de Vigilancia em Saude: volume unico [recurso eletronico] / Ministerio da Saude, Secretaria de Vigilancia em Saude, Coordenacao-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Servicos. – 3a. ed. – Brasilia : Ministerio da Saude, 2019. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/junho/25/guia-. Acesso em:19 Ago. 2019

BRASIL. Ministério da Saúde. SINAN/SVS/MS. Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan, Ministério da Saúde, 2020b. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sinannet/cnv/animaisma.def. Acesso em: 01 Jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Guia de Vigilância em Saúde: volume 3 / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. – 1. ed. atual. – Brasília: Ministério da Saúde, 2017. Disponível em: http://www.hc.ufu.br/sites/default/files/tmp/volume_3_guia_de_vigilancia_em_saude_2017.pdf. Acesso em: 21 set. 2019.

CHEUNG, R.; MACHADO, C. ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NA REGIÃO DOS LAGOS, RIO DE JANEIRO, BRASIL. Journal Health NPEPS, Mato Grosso, v.2, n.1, p.73-87, 2017. Disponível em: http://docs.bvsalud.org/biblioref/2020/03/1052502/1775-6186-3-pb.pdf. Acesso em: 10 set. 2019.

DE OLIVEIRA, A. T. A. L. et al. Acidentes com animais peçonhentos no Brasil: revisão de literatura. Revista Intertox de Toxicologia, Risco Ambiental e Sociedade, v. 11, n. 3, 31 out. 2018. Disponível em: http://autores.revistarevinter.com.br/index.php?journal=toxicologia&page=article&op=view&path%5B%5D=389&path%5B%5D=572. Acesso em: 11 set. 2019.

FERREIRA, L.C.; ROCHA, Y.C.S. Incidência de acidentes por escorpiões em Januária, Minas Gerais, Brasil. Journal Health NPEPS. v.4, n.1, p. 228-241, 2019. Disponível em: https://periodicos.unemat.br/index.php/jhnpeps/article/view/3351. Acesso em: 12 set. 2019.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Território Brasileiro e povoamento. Disponível em: https://brasil500anos.ibge.gov.br/territorio-brasileiro-e-povoamento/negros/populacao-negra-no-brasil.html. Acesso em 19 nov. 2019.

MARTINS, A.; BECIL JUNIOR, M.R. Acidentes com animais peçonhentos da ordem hymenoptera (abelhas e vespas): principais complicações em países da América Latina e Caribe. Rev. Braz. J. Hea., Curitiba, v. 1, n. 1, p. 220-232, 2018. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/669. Acesso em: 19 nov. 2019.

MENDES, J. S. et al. Aspectos epidemiológicos dos acidentes ofídicos ocorridos no município de Vitória da Conquista- Bahia, Brasil. Brazilian Applied Science Review, Curitiba, v. 4, n.3, p. 1607 – 1624, 2020. Disponível em: DOI:10.34115/basrv4n3-070. Acesso em: 17 set. 2020.

MISE, Y. F.; SILVA, R.M.L.; CARVALHO, F. M. Tempo para tratamento e gravidade do envenenamento ofídico no Brasil. Rev. Panamericana de Salud Pública. v. 42, n.52 , p.1-6, 2018. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/rpsp/2018.v42/e52/en. Acesso em: 11 set. 2019.

NASCIMENTO, J.L.M.; ESPÍNDOLA, M.F.; AZEVEDO, D.R.M. Epidemiologia dos acidentes com animais peçonhentos registrados no estado de Goiás entre os anos de 2007 e 2017. Rev. Educação em Saúde. v.7, n.2, 47-54, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.29237/2358-9868.2019v7i2.p45-52. Acesso em: 14 ago. 2019.

NEIVA, C. A. C., et al. Caracterização epidemiológica das intoxicações exógenas por substâncias nocivas e acidentes por animais peçonhentos em crianças no Estado do Amapá. Rev. Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. v. 01, na. 04, ed. 09, 41-66, 2019. Disponível em: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/saude/caracterizacao-epidemiologica. Acesso em: 10 out. 2019.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Doenças Tropicais Negligenciadas. Genebra: OMS, 2019. Disponível em: http://www.who.int/. Acesso em: 09 set. 2020.

PASSOS, A.R.O., et al. A IMPORTÂNCIA DA INTERVENÇÃO EM ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS NA URGÊNCIA E EMERGÊNCIA MÓVEL. Brazilian Journal of Sug. and cli. research. v.24, n.1, p. 08-12, 2018. Disponível em: https://www.mastereditora.com.br/periodico/20180902_011916.pdf. Acesso em: 15 set. 2019.

SANTOS, A.V.; NUNES, A.L.B.P.; NUNES, D.C.O.S. Epidemiologia dos acidentes causados por animais peçonhentos no município de Patrocínio (MG), Brasil (2015-2017). Rev. Hygeia. v.14, n.30, 82 - 94, 2018. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/download/44239/25304/. Acesso em: 17 out. 2019.

SILVA, G.M., et al. Caracterização de acidentes por animais peçonhentos no município de Afuá, Pará, Brasil. Rev. Eletr. Acervo Científico. v.3, 1-8, 2019. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/cientifico/article/view/656. Acesso em: 14 ago. 2019.

SILVA, P.L.N., et al. Perfil epidemiológico dos acidentes por animais peçonhentos notificados no Estado de Minas Gerais durante o período de 2010-2015. Revista SUSTINERE. v.5, n.2, 199-217, 2017. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/sustinere/article/view/29816. Acesso em: 18 set. 2019.

SILVA,C.F.R.; SANTOS,C.M.; PALERMO, T.A.C. Epidemiological profile of accidents by venomous animals. Rev Enferm UFPI. v.7, n.3, 35-41, 2018. Disponível em: https://revistas.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/7500. Acesso em: 24 out. 2019.

SOARES, F.G.S.; SACHETT, J.A.G.; Caracterização dos acidentes com animais peçonhentos: as particularidades do interior do Amazonas.Rev. Scientia Amazonia. v. 8, n.3, 29-38, 2019. Disponível em: http://scientia-amazonia.org/wp-content/uploads/2019/08/v.-8-n.-3-CS29-CS38-2019.pdf. Acesso em: 10 out. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.