AÇÃO DO ALHO (ALLIUM SATIVUM L.) EM RATOS INDUZIDOS A HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA

Maria Raquel da Silva Lima, Fernanda Pimentel de Oliveira

Resumo


Objetivo: Identificar o potencial terapêutico do alho em ratos com hipertensão arterial sistêmica induzida. Método: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura. As bases de dados que forneceram subsídios a pesquisa foram: PubMed, Scientific Eletronic Library Online (SciELO), e Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS). Utilizou-se os seguintes descritores: “Allium sativum L.”; “alho”; “hipertensão arterial sistêmica”. O levantamento foi realizado de abril à maio de 2020. Resultados:Foram escolhidos 7 artigos, 4 utilizaram alicina em pó, 2 extratos aquosos de alho e 1 de extrato de alho envelhecido e fermentado. A menor utilização do Allium sativum L. foi de 5mg e no máximo com 80mg. Conclusão: Os efeitos encontrados nos estudos apresentaram impacto positivo no controle da pressão arterial, mesmo com variadas dosagens e tempo de uso, mostrando que não é necessário quantidades excessivas para iniciar seu mecanismo de ação.


Palavras-chave


Alho; Hipertensão arterial sistêmica; Fitoterapia.

Texto completo:

PDF

Referências


AMAGASE, H. Clarifying the real bioactive constituents of garlic. The Journal of nutrition, v. 136, n. 3, p. 716S-725S, 2006.

ASHRAF, R. et al. Effects of Allium sativum (garlic) on systolic and diastolic blood pressure in patients with essential hypertension. Pakistan journal of pharmaceutical sciences, v. 26, n. 5, 2013.

BAYAN, L.; KOULIVAND, P. H.; GORJI, A. Garlic: a review of potential therapeutic effects. Avicenna journal of phytomedicine, v. 4, n. 1, p. 1, 2014.

BORTOLOTTO, L. A. Hipertensão arterial e insuficiência renal crônica. Revista Brasileira de Hipertensão, v. 15, n. 3, p. 152-5, 2008.

BOZIN, B. et al. Phenolics as antioxidants in garlic (Allium sativum L., Alliaceae). Food chemistry, v. 111, n. 4, p. 925-929, 2008.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Brasil). Resolução nº 26, de 13 de maio de 2014. Dispõe sobre o registro de medicamentos fitoterápicos e o registro e a notificação de produtos tradicionais fitoterápicos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 mai.2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Práticas integrativas e complementares: plantas medicinais e fitoterapia na Atenção Básica/Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual de implantação de serviços de práticas integrativas e complementares no SUS / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2018,56p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Síntese de evidências para políticas de saúde: Prevenção e controle da hipertensão arterial em sistemas locais de saúde. Brasília: Ministério da Saúde; EVIPNet, Brasil, 2016. 84 p.

CHAN, J. Y. et al. A review of the cardiovascular benefits and antioxidant properties of allicin. Phytotherapy Research, v. 27, n. 5, p. 637-646, 2013.

CHAUPIS-MEZA, D. et al. Efecto hipotensor del extracto de ajo (Allium sativum) macerado por 18 semanas en un modelo experimental in vivo. Revista Peruana de Medicina Experimental y Salud Pública, v. 31, n. 3, p. 461-466, 2014.

COLÍN-GONZÁLEZ, A. L. et al. The antioxidant mechanisms underlying the aged garlic extract-and S-allylcysteine-induced protection. Oxidative medicine and cellular longevity, v. 2012, p.1-16, 2012.

CROSSETTI, M. G. O. Revisão intergrativa de pesquisa na enfermagem: o rigor científico que lhe é exigido. Revista gaúcha de enfermagem, v. 33, n. 2, p. 08-13, 2012.

DA SILVA, L. E.; DE QUADROS, D. A.; NETO, A. J. M.. Estudo etnobotânico e etnofarmacológico de plantas medicinais utilizadas na região de Matinhos-PR. Ciência e Natura, v. 37, n. 2, p. 266-276, 2015.

DE OLIVEIRA, A. P, et al. Avaliação dos efeitos de fitoterápicos termogênicos em parâmetros antropométricos de pacientes com sobrepeso e obesidade. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, v. 11, n. 68, p. 667-676, 2017.

DUBEY, H. et al. Antihypertensive effect of allicin in dexamethasone-induced hypertensive rats. Integrative medicine research, v. 6, n. 1, p. 60-65, 2017.

DUBEY, H. et al. Allicin, a SUR2 opener: possible mechanism for the treatment of diabetic hypertension in rats. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 22, n. 5, p. 1053-1059, 2012.

ELKAYAM, A. et al. Effects of allicin on cardiovascular risk factors in spontaneously hypertensive rats. Israel Medical Association Journal, v. 15, n. 3, p. 170-3, 2013.

FILHO, C. C.; MURATORI, M. C. S.; DE SÁ, L. R. Souza. Qualidade microbiológica do alho (Allium sativum) produzido e comercializado em mercados públicos. Revista do Instituto Adolfo Lutz, v. 74, n. 4, p. 420-5, 2015.

GADKARI, J.V, JOSHI, V.D. Effect of ingestion of raw garlic on serum cholesterol level, clotting time and fibrinolytic activity in normal subjects. In: ELKAYAM, Amitai et al. Effects of allicin on cardiovascular risk factors in spontaneously hypertensive rats. Israel Medical Association Journal, v. 15, n. 3, p. 170-3, 2013.

GARCÍA-TREJO, E. M. A.et al. The Beneficial Effects of Allicin in Chronic Kidney Disease Are Comparable to Losartan. International journal of molecular sciences, v. 18, n. 9, p. 1980, 2017.

GARCÍA-TREJO, E. M. A. et al. Effects of allicin on hypertension and cardiac function in chronic kidney disease. Oxidative medicine and cellular longevity, v. 2016, 2016.

HANUS, J. S. et al. Associação entre a qualidade de vida e adesão à medicação de indivíduos hipertensos. Acta Paulista de Enfermagem, v. 28, n. 4, p. 381-387, 2015.

HOREV-AZARIA, L. et al. Allicin up-regulates cellular glutathione level in vascular endothelial cells. European journal of nutrition, v. 48, n. 2, p. 67-74, 2009.

KWAK, J. S. et al. Garlic powder intake and cardiovascular risk factors: A meta-analysis of randomized controlled clinical trials. Nutrition Research and Practice, v. 8, n. 6, p. 644– 654, 2014.

MALACHIAS, M. V. B, et al. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v.107, n.3, supl.3, p.1-83, 2016.

MARMITT, D. J. et al. Revisión sistemática de las plantas de interés para el Sistema de Saludcon potencial terapéutico cardiovascular. Revista Cubana de Plantas Medicinales, v.21, n.1, p.108-124, 2016.

MEDEIROS, R.; LIMA, P. T. Acesso às terapias complementares cresce no SUS. Educação Continuada em Saúde Einstein, v. 8, n. 1, p. 40-1, 2010.

MEIRA, E. et al. O Uso de Fitoterápicos na Redução e no Tratamento de Hipertensão Arterial Sistêmica. ID on line Revista de Psicologia, v. 11, n. 37, p. 27-36, 2017.

NWOKOCHA, C. R. et al. Antihypertensive properties of Allium sativum (garlic) on normotensive and two kidney one clip hypertensive rats. Nigerian Journal of Physiological Sciences, v. 26, n. 2, p. 213-8, 2011.

SÁ, K. M.. A Repercussão da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos na Formação Superior em Saúde no Estado do Ceará entre 2006 e 2016. 2016. 215 f. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

SCHWARTZ I. F. et al. Garlic attenuates nitric oxide production in rat cardiac myocytes through inhibition of inducible nitric oxide synthase and the arginine transporter cat-2 (cationic amino acid transporter-2). Clinical Science., v.102. n.5, p. 487-93, 2002.

SEGALL, L.; NISTOR, I.; COVIC, A. Heart failure in patients with chronic kidney disease: a systematic integrative review. BioMed research international, v. 2014, .p.1-21, 2014

SOUZA, J. B. P. et al. Interações Planta Medicinal x Medicamento Convencional no Tratamento da Hipertensão Arterial. Infarma - Ciências Farmacêuticas. 2017; v. 29, n. 2, p.90-99.

SUN, X.; KU, D.D. Allicin in garlic protects against coronary endothelial dysfunction and right heart hypertrophy in pulmonary hypertensive rats. American Journal of Physiology-Heart and Circulatory Physiology, v. 291, n. 5, p. H2431-H2438, 2006.

TALBOTT, S. M.; HUGHES, K. Suplementos dietéticos para profissionais de saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015.

WALLWORK, C. J.; PARKS, D. A.; SCHMID-SCHÖNBEIN, G. W. Xanthine oxidase activity in the dexamethasone-induced hypertensive rat. Microvascular research, v. 66, n. 1, p. 30-37, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.