Práticas educativas em saúde desenvolvidas em uma Unidade Básica de Saúde

Nalma Alexandra Rocha de Carvalho, Bárbara de Jesus Cunha da Silva, José Diego Marques Santos, Sérgio Alcântara Alves Poty, Inez Sampaio Nery

Resumo


No Brasil, o tema promoção da saúde ganhou força na década de 80 a partir das mudanças nas políticas de saúde que culminaram na Lei Orgânica da Saúde (1990) e na concepção do Sistema Único de Saúde (SUS). Desse modo, este trabalho tem como objetivo relatar a experiência de acadêmicos do 6º período de Enfermagem em uma atividade de promoção à saúde na Atenção Básica. Este artigo trata-se de um relato de experiência, cuja elaboração foi motivada a partir da experiência vivenciada no campo de estágio na Atenção Básica da disciplina de Saúde da Mulher. Foram desenvolvidas duas atividades de promoção da saúde, a primeira direcionada aos pacientes atendidos pelo programa Hiperdia no qual os alunos abordaram a questão da alimentação saudável e a segunda que se desenvolveu com mulheres que estavam no posto de saúde para consulta de puericultura, onde a temática abordada foi aleitamento materno. Conclui-se que atividades de promoção à saúde têm grande efetividade e representatividade quando realizada de forma adequada e adaptada aos hábitos da comunidade na qual essa atividade será direcionada.

Palavras-chave


Saúde da Mulher; Atenção Primária à Saúde; Promoção da Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


KEMPPAINEN, V.; TOSSAVAINEN, K.; TURUNEN, H. Nurses' roles in health promotion practice: an integrative review. Health Promotion International. v. 28, n. 4, p. 490-501, 2012.

TORRES, H. C. et al. O processo de elaboração de cartilhas para orientação do autocuidado no programa educativo em Diabetes. Rev. bras. enferm. v.62, n.2, p. 312-316, 2009.

TURATO, E. R. Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Rev. Saude Publica. v.39, n.3, p. 507-514, 2005.

UCHÔA, A.C. Innovative care experiences at Family Health Program (PSF): potential

and limits. Interface - Comunic., Saúde, Educ. v.13, n.29, p. 299-311, 2009.

VERÍSSIMO, D. S.; VALLE, E. R. M. A experiência vivida por pessoas com tumor cerebral e por seus familiares. Psicol. Argum. v.24, n.45, p. 45-57, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.