Direitos fundamentais e tradição: uma análise sobre a igualdade no direito islâmico e prospectando possíveis diálogos com o direito ocidental

Pablo Malheiros da Cunha Frota, Porfírio de Castro Vieira

Resumo


O ensino jurídico no Brasil tem sofrido constantes críticas no que diz respeito ao nível do padrão de qualidade. Esta pesquisa visa refletir sobre o perfil dos cursos jurídicos no país. Descreve o processo histórico da criação dos primeiros cursos jurídicos, bem como o perfil atual do ensino jurídico. Aborda algumas temáticas como a indissociação do tripé científico - ensino, pesquisa e extensão e o fenômeno da proliferação das universidades a partir do final do século XX. Aponta críticas contemporâneas ao ensino jurídico. Analisa a função social da educação jurídica. O trabalho possui natureza qualitativa e é desenvolvido com fundamentação teórica com base em alguns autores: historiadores, teóricos da educação, conselheiros da OAB e outros operadores do Direito. Como resultados, espera-se conscientizar os profissionais da educação jurídica, bem como o corpo acadêmico e a sociedade de modo geral, lembrando a recíprocaresponsabilidade, na busca de aperfeiçoar a educação no país, a partir da melhoria do ensino jurídico, incluindo a respectiva função social.


Texto completo:

PDF

Referências


ADEODATO, João Maurício. Direito à saúde e o problema filosófico do paternalismo na bioética. Revista de direitos e garantias fundamentais, Vitória, n. 11, p. 149-170, jan./jun. 2012.

AED, Saleh Ibn Hussein. O direito dos não muçulmanos sob um governo Islâmico. São Paulo: Wamy, 2009.

ALEXY, Robert. Teoria de los derechos fundamentales. Madrid. Centro de Estudios Constitucionales, 1993.

ALI, Syed Ameer. The spirit of islam. Lahore: Sajid Book depot, 1986

ALUI, Shamsa H. A mulher muçulmana ideal. A voz do Islam, v. 1, n. 2, abr., 1984.

ANNADY, Hassan Abul. O Islam e o mundo. São Bernardo do Campo: CDIAL, 1990.

AN-NA’IM, Abdullahi Ahmed. Muslim and global justice. Philadephia: University of Philadelphia, 2011.

AN-NA’IM, Abdullahi Ahmed. Islam and secular state. Cambridge: Harvard University Press, 2009.

AQUINO, Tomás de. Escritos políticos de São Tomás de Aquino. Petrópolis:Vozes, 1995.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. 4 ed. São Paulo:Nova Cultural, 1991.

ARISTÓTELES. A política. 14 ed. Rio de Janeiro: Editora Ediouro, sem ano.

ARONNE, Ricardo. Por uma nova hermenêutica dos direitos reais limitados. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

ASHTAR, Abdual Kader Al. Luces sobre El Islam. Santiago: Planeta, 1990.

AUDAH, Abdul Kader. O islam: sábio e seguidores. São Bernardo do Campo: CDILA, 1995

BANNABI, Mabek. Vocation de L’Islam. Paris: Seuil, 1954.

BECK, Ulrich; GRANDE, Edgar. La Europa cosmopolita. Barcelona: Paidos, 2006.

BERNARDO, Fernanda. Para além do cosmopolitismo kantiano: hospitalidade e “alter mundialização” ou promessa da “nova inter-nacional” democrática de Jacques Derrida. Revista Portuguesa de Filosofia, Portugal, v. 61, n. 3-4, jul./dez., 2005.

BODIN DE MORAES, Maria Celina. Danos à pessoa humana: uma leitura civil-constitucional dos danos morais. Rio de Janeiro: Renovar, 2003.

BREGA FILHO, Vladimir. Direitos fundamentais na Constituição de 1988: conteúdo jurídico das expressões. São Paulo: Juarez de Oliveira, 2002.

BRETT, Annabel. Politics, right(s) and human freedom in Marsilius of Padua. In. Tranformation in medieval and early-modern rights discourse. Dordrecht (Netherlands): Springer, 2006.

BUCCI, Maria Paula Dallari. O conceito de política pública em direito. In: BUCCI, Maria Paula Dallari (Org.). Políticas Públicas: Reflexões sobre o Conceito Jurídico. São Paulo: Saraiva, 2006, p. 1-49.

BURGAT, François. L’islamisme en face. Paris: Le Découverte, 1996. Trad. Que islamismo aí ao lado? Lisboa: Paiget, 1999.

CANOTILHO, J.J. Direito constitucional e teoria da Constituição. Coimbra: Almedina, 1998.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Estado de direito. Lisboa: Gradiva, 1999.

CARRANCA, Adriana; CAMARGOS, Márcia. O Irã sob o chador: duas brasileiras no país dos aiatolás. São Paulo: Globo, 2010.

CARVALHO NETO, Menelick de; SCOTTI, Guilherme. Os direitos fundamentais e a (in)certeza do direito. Belo Horizonte: Fórum, 2011.

CASTANHEIRA NEVES, António. Entre o legislador, a sociedade e o juiz ou entre sistema, função e problema − modelos actualmente alternativos da realização jurisdicional do direito. In: SANTOS, Luciano Nascimento (Coord.). Estudos jurídicos de Coimbra. Curitiba: Juruá, 2007, p. 229-268.

CHUEIRI, Vera Karam de. Prefácio. In: CARVALHO NETO, Menelick de; SCOTTI, Guilherme. Os direitos fundamentais e a (in)certeza do direito. Belo Horizonte: Fórum, 2011, p. 7-12.

CHUEIRI, Vera Karam de; GODOY, Miguel G. Constitucionalismo e Democracia – Soberania e Poder Constituinte. Revista Direito GV, São Paulo, v. 11, p. 159-174, jan./jun. 2010.

CÍCERO, Marco Túlio. Dos deveres. São Paulo: Saraiva, 1973

CRUZ, José Fernando Garcia. Un análisis del derecho islâmico: la escuela duodecima ou Ya’ Farí. Carceres: Universidad de Extremadura, 2004.

FACHIN, Luiz Edson. A “reconstitucionalização” do direito civil brasileiro. In: FACHIN, Luiz Edson. Questões do direito civil brasileiro contemporâneo. Rio de Janeiro: Renovar, 2008, p. 11-20.

FACHIN, Melina Girardi. Fundamentos dos direitos humanos: teoria e práxis na cultura da tolerância. Rio de Janeiro: Renovar, 2009.

FREITAS FILHO, Roberto; CASAGRANDE, José Renato. O Problema do Tempo Decisório nas Políticas Públicas. Revista de Informação Legislativa, v. 187, p. 21-34, 2010.

FROTA, Pablo Malheiros da Cunha. Responsabilidade por danos. Curitiba: Juruá, 2014.

GODOY, Arnaldo Sampaio de Moraes. A germanística jurídica e a metáfora do dedo em riste no contexto explorativo das justificativas do ativismo judicial e da dogmática dos direitos fundamentais. Palestra proferida no UNICEUB em 5 de maio de 2014, cedida gentilmente pelo autor.

GUEDES, Jefferson Carús. Igualdade e desigualdade: introdução conceitual, normativa e histórica dos princípios. São Paulo: RT, 2014.

HALLAQ, Wael. The origins and evolutions of Islamic Law. In. Themes in Islamic law. Cambridge: University press, 2005.

HASSAN, Riffat. Paquistão: a mulher no islamismo e no cristianismo. In. Islã: um desafio para o cristianismo – Concilium n. 253. Editora Vozes, 1994.

HAURIOU, Maurice. Derecho publico y constitucional. Madri: Press, 1927. http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/Documentos-n%C3%A3o-Inseridos-nas-Delibera%C3%A7%C3%B5es-da-ONU/declaracao-islamica-universal-dos-direitos-humanos-1981.html, consulta no dia 20 de julho de 2013

http://www.maismulheresnopoderbrasil.com.br/noticia_geral.php?id=120 em 12/01/2010.

ISBELLE, Sami Armed. O Estado Islâmico e sua organziação. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2007.

KANT, Immanuel. Metafísica dos costumes, princípios metafísicos da doutrina do direito. Lisboa: Ed. 70.

KUNG, Hans. Der Islam. Munique: Piper Verlag GmbH, 2004. Trad. Islão. Lisboa: Ed. 70, 2010.

LEWIS, Levering David. God’s crucible: Islam the making of Europe, 570 to 1215. Trad. O Islã e a formação da Europa, de 570 a 1215. Barueri: Amarilys, 2010.

LINHARES, José Manuel Aroso. A ética do continuum das espécies e a resposta civilizacional do direito. In. Boletim da Faculdade de Direito. Coimbra: FDUC, v. LXXIX

LOSANO, Mario. I grandi sistemi giuridici. Roma: Laterza e Figli, 2000. Trad. Os grandes sistemas jurídicos. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

LUCCHESI, Marco (org.). Caminhos do Islã. São Paulo: Record, 2002.

MAHMOOD, Saba. Teoria feminista, agência e sujeito liberatório: algumas reflexões sobre o revivalismo islâmico no Egipto. Revista Etnográfica – CEAS, v. X , n. 1, 2006.

MONTURIOL, Yaratullah. Islamy derechos humanos. Junta Islâmica: Córdoba, 2009.

MOREWEDGE, Parviz. Essay in islamic philosophy, theology and mysticism. New York: Global Scholarly, sem ano.

MUTAHLARI, Murtadã. Os direitos das mulheres no Islão. 2 ed. Lisboa: Editora Islâmica, 1998.

OLIVEIRA, Vitória Peres de. Mulheres que eram homens: o elemento feminino na mística sufi. In. LUCCHESI, Marco. (Org.). Caminhos do Islã. São Paulo: Record, 2002

PASQUALINI, Alexandre. O público e o privado. In SARLET, Ingo. (Org). O direito público em tempos de crise. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 1999, v.1, p. 15-37.

PEREIRA, Gustavo Oliveira de Lima. Direitos humanos & hospitalidade: a proteção internacional para apátridas e refugiados. São Paulo: Atlas, 2014.

PIANOVSKI RUZYK, Carlos Eduardo. Institutos Fundamentais do Direito Civil e Liberdade(s): Repensando a dimensão funcional do contrato, da propriedade e da família. Rio de Janeiro: GZ, 2011.

QUESADA, Juan Martos. O direito islâmico medieval. In. PEREIRA, Rosalie Helena de Souza (Coord). O islã clássico: itinerários de uma cultura. São Paulo: Perspectiva, 2007

ROBL FILHO, I. N.; MARRAFON, M. A. Paradoxos da Hipermodernidade: Reflexões sobre a Análise Econômica do Direito, os Direitos Fundamentais e o Papel da Jurisdição Constitucional no Brasil à Luz da Filosofia de Gilles Lipovetsky. In: Julio Cesar Marcelino Junior, Julio Keller do Vale, Sergio Ricardo Fernandes de Aquino. (Org.). Direitos Fundamentais, Economia e Estado: reflexões em tempos de crise. Florianópolis: Conceito, 2010, v. 1, p. 265-285.

SAADAWI, Nawal el. The hidden face of Eve. Trad. A face oculta de Eva: as mulheres do mundo árabe. 2. ed. São Paulo: Global, 2002.

SERRES, Michel. Trad. Le contrat naturel, François Bourin, Paris, 1987. Trad. O contrato natural. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991.

SINGER, Peter. Animal liberation. New York: Harper Collins, 2003. Trad. Libertação Animal. Porto Alegre: Lugano, 2004.

SINGER, Peter. Ética Prática. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

SOARES, Mário Lúcio Quintão. Teoria do Estado: novos paradigmas em face da globalização. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

SOUZA, Rosalie Helena de (Coord). O islã clássico: itinerários de uma cultura. São Paulo: Perspectiva, 2007.

TAYLOR, Charles. A secular age. Harvard: Belknap Press, 2007.

UNGER, Roberto Mangabeira. Democracia realizada: a alternativa progressista. São Paulo: Editempo, 1999.

VILLEY, Michel. Le Droit et lês droits de l’homme. Paris: Press Universitaires de France, 2007. Trad. O direito e dos direitos humanos. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.