Ensino jurídico no Brasil: uma análise teórica sob as perspectivas do padrão de qualidade e da função social da educação

Maria do Rosário Pessoa Nascimento, João Miguel Trancoso Lopes

Resumo


O ensino jurídico no Brasil tem sofrido constantes críticas no que diz respeito ao nível do padrão de qualidade. Esta pesquisa visa refletir sobre o perfil dos cursos jurídicos no país. Descreve o processo histórico da criação dos primeiros cursos jurídicos, bem como o perfil atual do ensino jurídico. Aborda algumas temáticas como a indissociação do tripé científico - ensino, pesquisa e extensão e o fenômeno da proliferação das universidades a partir do final do século XX. Aponta críticas contemporâneas ao ensino jurídico. Analisa a função social da educação jurídica. O trabalho possui natureza qualitativa e é desenvolvido com fundamentação teórica com base em alguns autores: historiadores, teóricos da educação, conselheiros da OAB e outros operadores do Direito. Como resultados, espera-se conscientizar os profissionais da educação jurídica, bem como o corpo acadêmico e a sociedade de modo geral, lembrando a recíproca responsabilidade, na busca de aperfeiçoar a educação no país, a partir da melhoria do ensino jurídico, incluindo a respectiva função social.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, 5 de outubro de 1988.

BRASIL. Lei nº. 9.394/1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 1996.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. CNE/CP Resolução 1/2004. Diário Oficial da União, Brasília, 22 de junho de 2004, Seção 1, p. 11..

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº. 9, de 29 de setembro de 2004. Institui as diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Direito. Diário Oficial da União, Brasília, 2014.

BUSATO, Roberto. O Brasil já tem mais de mil faculdades. 2009. Disponível: www.conjur.com.br/2006-ago-05/brasil_mil_faculdades_direito. Acesso: 11/11/2016.

FELKER, Reginald D.H. O ensino jurídico no processo de transformação da sociedade brasileira. Revista da Ordem dos Advogados do Brasil. Brasília – DF, Ano XXXI n. 73. 2001.

GRECO, Leonardo. Ensino Jurídico. 2003. (www.mundojuridico.adv.br). Disponível: http://www.profpito.com/oensijurnobra.html - Acesso: 17/10/2016.

MENEZES, Luís Carlos de. Universidade sitiada. Ameaça de uma liquidação da universidade brasileira. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2001.

NEIVA, Cláudio Cordeiro et al. Temas atuais de Educação Superior: a proposição para estimular a investigação e a inovação. Brasília-DF: Abnes Editora, 2006.

NOGUEIRA, Almeida. Tradições e reminiscências. Estudantes. Estudantões. Estudantadas. Segunda série. São Paulo: Academia de S. Paulo, 1907.

RODRIGUES, Horácio Wanderlei. Ensino jurídico e direito alternativo. 2008. Disponível: portalciclo.com.br/downloads/artigos/direito/a_crise_do_ensino_juridico.pdf.

SOUZA, Paulo Renato. A Revolução Gerenciada. Educação no Brasil. 1995-2002. São Paulo: Prentice Hall, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.